O que são facetas ou laminados ?

As facetas ou laminados estéticos são artificios usados para melhorar a aparência de dentes anteriores.

Atualmente, este tipo de trabalho pode ser realizado basicamente com dois materiais: Resinas, pela técnica direta, ou Porcelana, pela técnica indireta.

A direta, é a técnica pela qual o próprio cirurgião dentista esculpe os dentes diretamente na boca do paciente. Já na técnica indireta, o dentista faz preparos (pequenos desgastes) nos dentes, molda estes dentes desgastados, e envia o molde a um laboratório de prótese, onde os dentes serão esculpidos em porcelana.

Técnica Direta

Na técnica direta, o trabalho é todo realizado em resina composta, material de uso consagrado em odontologia. A evolução deste material permite que atualmente realizemos trabalhos com grande naturalidade. Um dentista que tenha boas habilidades manuais e um bom conhecimento dos sistemas de cores das resinas compostas é capaz de realizar um trabalho esteticamente excelente.

Na situação apresentada abaixo, a paciente tinha dentes com restaurações bastante antigas, feitas há mais de 10 anos, e nos procurou indicada por um colega para melhorar a estética de seu sorriso.

Este caso foi resolvido com restaurações diretas em resina composta, em 3 consultas:

– Na primeira, fizemos fotografias e moldagem dos dois arcos dentários para planejamento.

– Na segunda consulta, apresentamos o planejamento à paciente para aprovação.

– Na terceira consulta, fizemos remoção de todas as restaurações antigas e confecção das novas.

– e finalmente na quarta consulta, demos acabamento e polimento nas restaurações.

É interessante observar que estas consultas podem ser realizadas todas na mesma semana. Ao final desta sequencia, obtivemos o seguinte resultado:

A meu ver, existem duas grandes vantagens em se usar a técnica direta para confecção de facetas estéticas:

– Menor custo;

– Maior agilidade na execução do tratamento.

Técnica Indireta

O material de eleição para a técnica indireta é a porcelana feldspática.

Apesar de apresentar maior custo, e de ser um tratamento um pouco mais demorado, esta técnica oferece algumas vantagens em relação a técnica direta:

– A porcelana tem grande estabilidade de cor e forma, e enquanto estiver na boca não sofre mudanças visualmente significantes.

– A porcelana é um material de grande resistência, e quando trabalhado dentro da indicação correta e de maneira adequada, oferece maior durabilidade.

Até algum tempo atrás, para realização de facetas em porcelana eram necessários desgastes de pelo menos 1 mm na parte da frente de cada dente a ser facetado. Hoje, com a técnica das lentes de contato dentárias (facetas ultra finas), é possível facetar um dente com porcelana praticamente sem desgaste.

Pode-se dizer que hoje, para facetar um dente com porcelana feldspática, só se desgasta o dente se quisermos fazer maiores alterações de forma ou cor, e quando necessários, os desgastes são bastante conservadores.

Deixe um comentário

Arquivado em 19960317, 5584, Clareamento Dentário, estética, faceta, gengiva, laminado, lente de contato, lente de contato dental, Odontologia estética, Restaurações estéticas invisíveis

Plástica Gengival – a busca pelo sorriso perfeito

A plástica gengival, ou gengivoplastia, é uma técnica antiga, mas que vem se popularizando cada vez mais nos dias de hoje, principalmente pela busca incessante pela estética.

A gengivoplastia pode ser usada para remoção de excessos de tecido gengival que atrapalham a estética, ou para pequenas correções e enxertos, tornando o aspecto visual da gengiva mais agradável.

Existem dois requisitos fundamentais para atingirmos bons resultados com esta técnica:

  1. É necessário que a gengiva esteja muito saudável, que o paciente tenha boa higienização e não seja portador de gengivite ou doença periodontal.
  2. É muito importante que haja um correto planejamento estético, que sejam feitas medições do comprimento e largura dos dentes, da quantidade de gengiva que aparece no sorriso e da quantidade que seria desejável. Um bom planejamento é a única forma de chegarmos a um resultado esteticamente agradável.

No caso apresentado abaixo, a paciente tinha o que chamamos de sorriso gengival, ou seja, quando ela sorria, aparecia uma grande faixa de gengiva entre os dentes superiores e o lábio. Além disso os dentes incisivos centrais apareciam mais curtos que os incisivos laterais, o que em se tratando de estética dental é altamente indesejável:

 

Nós não poderíamos simplesmente cortar a gengiva da paciente aumentando o comprimento dos incisivos centrais, pois eles pareceriam muito longos. Assim sendo, optamos por um plano de tratamento um pouco mais complexo. Lançamos mão da ortodontia para melhorar a relação oclusal e abrir pequeno espaço entre os dois incisivos centrais.

 

Após conseguirmos chegar aos resultados esperados com a ortodontia, nosso periodontista realizou a cirurgia plástica gengival. Aproveitando o tempo cirurgico, foi realizada também a frenectomia (remoção do freio) do lábio superior.

A foto abaixo mostra o resultado apenas uma semana após a realização da cirurgia, ainda com o aparelho ortodôntico instalado.

Observe como diminuímos a faixa gengival presente no sorriso e aumentamos o comprimento dos incisivos centrais:

 

Na imagem abaixo temos o resultado estético gengival 45 dis após a cirurgia, já com o aparelho ortodontico removido e com os dentes clareados pela técnica mista, que associa clareamento de consultório (laser) e clareamento caseiro:

 

E finalmente nesta última foto, temos o resultado final, após o fechamento do espaço entre os incisivos centrais com resina composta:

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em 5584, Clareamento Dentário, gengiva, Gengivoplastia, Implantes, Odontologia estética, Restaurações estéticas invisíveis, sorriso gengival

Implante com Carga Imediata – O que é isso?

O implante com carga imediata tem se popularizado bastante nos últimos anos. O termo passou a fazer parte do vocabulário dos leigos, principalmente devido ao grande número de propagandas mercantilistas a respeito do assunto.

A técnica trás grande benefício estético, pois proporciona a possibilidade de evitarmos o uso de provisórios removiveis ou presos aos dentes vizinhos. No entanto, não deve ser usada em qualquer caso, pois alguns requisitos devem ser preenchidos para garantirmos o sucesso do tratamento.

– O que é carga imediata?

É uma técnica que possibilita a instalação de um dente preso a um implante dentário logo após o ato cirúrgico da colocação do implante.

– Qualquer pessoa pode ser beneficiada com esta técnica?

Não. Implantes com carga imediata são limitados, e não devem ser usados para qualquer caso. É importante que as pessoas não se deixem levar por propagandas, pois para se colocar carga imediata sobre um implante dentário, é de grande importância que sejam satisfeitas algumas condições, como a qualidade óssea e o torque de travamento do implante. Essas condições técnicas, na maioria das vezes, só são definidas durante o ato cirurgico. Sendo assim, seria de grande irresponsabilidade prometermos ao paciente que iremos fazer carga imediata antes de conhecer esses fatores.

– Se eu fizer um implante com carga imediata, posso começar a mastigar assim que sair do dentista?

Não. A carga imediata, na verdade, deveria se chamar “Estética imediata”. O implante dentário recem instalado não deve sofrer carga mastigatória, e o provisório colocado sobre ele deverá ter função exclusivamente estética. O dente normalmente é instalado em infra-oclusão, ou seja, não toca no dente antagônico, e o paciente deverá evitar mastigar naquela região durante pelo menos 4 meses, que é o período mínimo que o organismo necessita para reorganização óssea na região onde o implante foi instalado.

Na sequencia abaixo, um caso de instalção de implante com carga imediata:

– O dente circulado (22), apesar do aspecto aparentemente normal, sofreu uma fratura na raíz, sendo inviável sua manutenção na boca.

 

– Na foto abaixo estamos começando a extração do dente. A técnica da exodontia deve ser extremamente conservadora, evitando incisões na gengiva para preservá-la saudável após o término do procedimento.

 

– Observe como o dente foi extraído e a gengiva permanece intacta:

 

– Neste momento estamos procedendo a colocação do implante.

 

– A foto abaixo ilustra o implante instalado (abaixo da gengiva) e sobre ele preso um pilar provisório (peça protética que prende o dente ao implante).

 

– E nessa última imagem temos já a presença de uma coroa provisória instalada, que ficará aí durante os próximos 4-6 meses, até que se conclua o processo de osseointegração do implante para podermos substituí-la por uma coroa em porcelana.

 

1 comentário

Arquivado em 5584, Clareamento Dentário, gengiva, Gengivoplastia, Implantes, Odontologia estética, Restaurações estéticas invisíveis, sorriso gengival

Clareamento Dentário: Um marco da odontologia moderna

Pode-se considerar que este é o tratamento da década quando se fala em odontologia estética. Todos querem ter dentes mais claros…

Atualmente, existem duas formas básicas para clarearmos os dentes:

– O Clareamento caseiro, aquele em que o paciente usa moldeiras personalizadas com um gel específico para este fim durante algumas horas por dia. É de extrema importância frisarmos que este tipo de tratamento deve ser acompanhado de perto por um profissional, não apenas para avaliar resultados, mas também para detectar possíveis efeitos colaterais antes que eles causem danos a saúde dentária e geral do paciente, além de controlar a higienização, presença de cáries e tártaro, que podem influenciar no resultado do tratamento, além de trazer grandes prejuízos aos dentes se não foram tratados antes do clareamento.

– O Clareamento in-office, popularmente conhecido como Clareamento a Laser. Este clareamento é realizado dentro do cunsultório dentário, em sessões de aproximadamente 1 hora, utilizando quantas consultas forem necessárias para se atingir um resultado satisfatório. Em grande parte dos casos, 3 sessões de clareamento são suficientes, mas em alguns, mesmo após um grande número de aplicações, praticamente não obtemos mudanças na coloração original dos dentes.

Em nossa clínica, atualmente temos preferido trabalhar conjugando as duas técnicas, ou seja, o paciente faz uso do claremaneto caseiro diário, e durante o período de uso das moldeiras (15 dias em média), fazemos tb 2 ou 3 sessões de clareamento no consultório. Dessa forma conseguimos um resultado rápido e mais estável.

O caso abaixo foi tratado dessa forma. Para fins de comparação optamos por fazer o clareamento em um arco de cada vez. Começamos pelo arco superior. Na foto abaixo podemos observar a cor original dos dentes do paciente no arco inferior, e o resultado que conseguimos com a técnica mista de clareamento no arco superior.

Neste outro caso, a pedido da paciente, que não queria fazer o clareamento caseiro, fizemos apenas o de consultório.

Neste caso também fizemos a opção de executar o procedimento em um arco da cada vez, apenas para efeito de comparação. A foto abaixo ilustra o momento em que iriamos iniciar o clareamento do arco inferior, e o do superior já estava concluído.

Essa segunda foto mostra a finalização do caso

E aqui, após o polimento dos dentes, o sorriso alegre, saudável e rejuvenescido de mais uma paciente satisfeita com os resultados do clareamento dentário.

4 Comentários

Arquivado em 5584, Clareamento Dentário, Odontologia estética

Protocolo de Branemark: a volta do prazer em sorrir

Em 1969, o médico ortopedista sueco Per-Ingvar Branemark, estudando as células dos ossos dos coelhos, observou a aderência total entre um cilindro de titâneo e o osso vital. Depois de vários anos de estudo, ele comprovou que esse novo método realizado sob padrões determinados, poderia ter sucesso na reposição de perdas dentárias. Surgia assim a osseointegração, um novo sistema de ancoragem das próteses, que liga uma estrutura de titâneo ao osso.

A reabilitação de um paciente edentado total com a utilização de uma prótese total fixa sobre implantes na mandíbula foi a primeira modalidade de tratamento introduzida com o uso de implantes osseointegrados. Por esse motivo, essa é a que apresenta maior número de estudos longitudinais e com maior tempo de acompanhamento. O objetivo inicial a ser atingido na reabilitação protética com implantes era o de superar o desafio de manter as próteses totais inferiores mais estáveis, melhorando a qualidade de vida dos chamados inválidos orais, sendo portanto uma prótese na qual o aspecto funcional predominava.

Na época de sua criação, a confecção de uma prótese total sobre implantes seguindo o Protocolo de Branemark consistia em processo demorado, onde após a instalação dos implantes, seriam necessários seis meses até a cicatrização óssea, para só então se dar a instalação da prótese. Hoje, com a evolução da técnica protética, e com o desenvolvimento de implantes osseointegráveis mais seguros, pode-se realizar a implantação e logo em seguida iniciar-se o processo de confecção da prótese definitiva, possibilitando que a mesma esteja instalada em até 72 horas após a implantação. Essa evolução trouxe maior conforto aos pacientes. Alem disso, os novos sistemas de implantes permitem que se faça uma prótese fixa total utilizando-se apenas 4 ou 5 implantes, o que ajuda a reduzir o custo do tratamento.

Devido a crescente exigência estética da população em geral, a evolução das resinas e porcelanas odontológicas se somou a importância da reabilitação funcional, tornando possível a confecção de próteses totais invisíveis e fixas, repondo não só os dentes, mas também parte da gengiva natural que perde volume devido ao processo de reabsorção óssea que segue a perda da dentição natural. Hoje uma pessoa que sofreu a perda de todos os dentes, pode ter de volta o prazer de mastigar e falar bem, e principalmente, a satisfação de sorrir.

Deixe um comentário

Arquivado em 5584, Implantes

Plástica Dental – A arte de criar e transformar sorrisos

Uma nova modalidade de odontologia vem ganhando cada vez mais espaço nas ambições do público que consome os serviços dos cirurgiões dentistas: A Plástica Dental.

Com materiais cada vez mais próximos do esmalte dentário, podemos reproduzir fielmente estruturas naturais do dente com materiais artificiais, e dessa forma, restaurar dentes cariados ou com restaurações antigas, reconstruir dentes fraturados, e até construir uma nova forma a dentes com grandes desgastes ou má formações genéticas, como é o caso de microdentes e incisivos laterais conóides.

O caso abaixo foi realizado todo com técnica direta, ou seja, tudo feito no consultório odontológico, sem auxilio de laboratórios de prótese, o que agilizou bastante a finalização do tratamento. Com uso de resinas compostas de última geração, associadas a técnica de clareamento dentário que conjuga o uso de tecnologia à laser com o clareamento caseiro, conseguimos o seguinte resultado:

O paciente chegou ao consultório queixando-se de que seus dentes eram muito escuros e que não apareciam em seu sorriso.

No nosso diagnóstico, concluímos que seus dentes haviam sido desgastados por habitos parafuncionais (bruxismo), e realmente apresentavam um escurecimento acentuado, provocado tanto por manchamento externo devido ao consumo de café e cigarros, quanto pelo aumento da cromatização da dentina, provocada por fatores naturais de envelhecimento associados ao bruxismo acentuado.

O tratamento realizado iniciou-se com uma profilaxia realizada com uso de aparelho de ultrasom associado ao jato de bicarbonato, para remover manchas externas, e logo após de um clareamento dentário conjugando as técnicas a laser e clareamento caseiro. Dessa forma conseguimos um resultado rapido e eficiente.

Após resulver o problema da cor, optamos por reconstruir a parte desgastada dos dentes com resinas compostas, reestabelecendo o comprimento natural dos dentes, fazendo com que ficassem mais evidente quando o paciente sorri.

1 comentário

Arquivado em Clareamento Dentário, Odontologia estética, Restaurações estéticas invisíveis